As taxas de reincidência da Austrália do Sul caem para níveis recordes: Um triunfo na reabilitação

Artigo

Francis Toye

Em uma conquista notável, a Austrália do Sul emergiu como líder no combate às taxas de reincidência, ostentando os números mais baixos em toda a Austrália. O lançamento do Relatório 10BY20 pelo Departamento de Serviços Penitenciários (DCS nas siglas em inglês), Governo da Austrália do Sul, revela uma impressionante queda nas taxas de reincidência, superando a ambiciosa meta estabelecida para 2020. Essa história de sucesso não é apenas um testemunho de estratégias eficazes, mas também destaca o impacto transformador de soluções tecnológicas inovadoras, como as soluções de software da Unilink, no campo da reabilitação de infratores. 

A jornada para reduzir a reincidência começou em 2016, quando o governo estadual lançou a estratégia “Reduzindo a reincidência: 10% até 2020”, com o objetivo de abordar as altas taxas de reincidência e promover comunidades mais seguras. A taxa básica de reincidência de 46,1% preparou o terreno para uma meta ambiciosa de redução de 10%, para 41,4%. Parte fundamental do sucesso desse empreendimento foi a integração de programas baseados em evidências e soluções inovadoras, entre as quais o Prisoner Self-Service da Unilink, conhecido como Kiosk Express System (KEX). Esse sistema revolucionou a forma como os prisioneiros interagem com as instalações penitenciárias, capacitando-os a se tornarem autossuficientes em vários aspectos de suas vidas diárias dentro dos limites do encarceramento.

David Brown, diretor executivo da DCS, ressalta a importância dessa abordagem, enfatizando a
necessidade de melhorias na eficiência e na eficácia do sistema.

A introdução de quiosques de autoatendimento não apenas agiliza os processos administrativos, mas também promove maior autonomia entre os prisioneiros, permitindo que eles gerenciem seus assuntos cotidianos com facilidade. 

Essa mudança dos sistemas tradicionais, baseados em papel, para soluções modernas e orientadas pela tecnologia marca um momento crucial no aprimoramento do ambiente prisional e na promoção da reabilitação do infrator por meio da necessidade de assumir a responsabilidade por suas próprias vidas.

O sistema Kiosk Express oferece aos prisioneiros uma série de funcionalidades, incluindo pedidos de itens para a cantina, gerenciamento de finanças, acesso a informações e até mesmo autorreferência a serviços de saúde. Carol Zulian, gerente de projetos do sistema, destaca sua função de alinhar os prisioneiros aos sistemas de TI contemporâneos, facilitando assim sua reintegração à sociedade após a libertação. 

Embora o Relatório 10BY20 não atribua explicitamente a redução das taxas de reincidência à utilização de mecanismos de autoatendimento, os paralelos extraídos de iniciativas semelhantes no Reino Unido sugerem uma correlação convincente. Pesquisas independentes conduzidas por instituições renomadas, como a Universidade de York e a Universidade de Portsmouth, validam ainda mais o impacto positivo da tecnologia de autoatendimento para prisioneiros da Unilink.

Os resultados indicaram melhorias na conclusão dos programas, uma redução estatisticamente significativa nas taxas de reincidência e maior eficiência da equipe, tudo isso contribuindo para um ambiente prisional mais reabilitador.

Alinhadas a esses resultados estão também as conclusões do relatório “Evaluation of digital technology in prisons” (Avaliação da tecnologia digital nas prisões), produzido pelo Ministério da Justiça do Reino Unido em 2020.

A pesquisa, realizada pela Universidade de Leicester, indica que os prisioneiros e a equipe perceberam que a acessibilidade dos quiosques de autoatendimento e dos laptops foi uma melhoria significativa em relação aos arranjos anteriores do sistema de aplicações em papel.

Os quiosques de autoatendimento e os laptops também foram vistos como um bom recurso pelos funcionários e prisioneiros, conforme constatado nas entrevistas/grupos de foco e pesquisas com prisioneiros.

A pesquisa qualitativa constatou que tanto os funcionários quanto os prisioneiros achavam que os quiosques de autoatendimento e os laptops haviam aumentado o sentimento de agência e autonomia dos prisioneiros, o que foi considerado um dos principais benefícios das tecnologias. O fato de dar aos prisioneiros mais responsabilidade pelas tarefas que poderiam ser realizadas nos quiosques e laptops também foi visto como tendo potencial para reduzir o atrito entre os prisioneiros e os funcionários.

David Brown reconhece o potencial transformador da tecnologia no avanço da reabilitação de infratores, prevendo futuros esforços para conectar em rede a educação de prisioneiros e o treinamento vocacional em instalações correcionais. O sucesso alcançado até o momento ressalta a importância da inovação e da colaboração contínuas na abordagem de desafios sociais complexos.

De acordo com o último relatório, a taxa de reincidência da Austrália do Sul está em impressionantes 39,3%, o que representa uma notável redução de 15% em relação ao valor de referência, superando significativamente a meta.

Essa conquista não apenas posiciona a Austrália do Sul como pioneira na reabilitação de infratores, mas também estabelece uma referência a ser imitada por outras jurisdições. 

Nessa jornada rumo a uma sociedade mais segura e inclusiva, a Unilink se orgulha de seu papel como
parceira de sucesso, comprometida em apoiar a DCS na realização das metas da Estratégia 20by26.

À medida que a tecnologia continua a evoluir, o potencial de soluções inovadoras que apoiam a reabilitação de infratores permanece ilimitado, prometendo perspectivas mais brilhantes para os indivíduos que buscam a reforma e para as comunidades que lutam pela resiliência.

Francis Toye is Unilink's Founder and CEO

Francis Toye é o fundador e CEO da Unilink, uma empresa internacionalmente reconhecida fundada em 1994, especializada em fornecer soluções integradas para instituições correcionais. Com uma equipe altamente qualificada de mais de duzentos profissionais e trabalhando em estreita colaboração com especialistas correcionais e autoridades globais, a empresa desenvolveu uma gama abrangente de soluções para atender às necessidades específicas do setor. Seu rico portfólio de soluções comprovadas sustenta a transformação digital em serviços prisionais e de liberdade condicional no Reino Unido, Europa, Austrália e Nova Zelândia. A empresa se esforça constantemente para inovar a gestão de infratores na prisão e na comunidade. A Unilink é uma empresa vencedora de vários prêmios, incluindo o King’s Award for Enterprise in International Trade em 2023.

Publicidade

Curtir / Compatilhar

Alterar idioma

Explore mais

Cursos online: Corrections Learning Academy

Comunidade profissional: Corrections Direct

Recursos: Crime Solutions

Recursos Crime Reduction Toolkit

More stories
Transformando o encarceramento por meio da educação e da reabilitação