ODSecurity Soter RS Sanner

Escaneamento com raios-X nas prisões: garantindo segurança e eficácia

Com drogas entrando em nossos sistemas prisionais regularmente, precisamos abordar o “elefante na sala” que é a segurança das revistas com raios-X.

Historicamente, os métodos de detecção desenvolveram-se desde revistas físicas invasivas e humilhantes sem roupas e em cavidades corporais até diferentes níveis de tecnologia eletrônica e de digitalização. Cada método tem seu próprio nível de eficácia, mas a realidade das prisões requer eficácia total, não parcial.

Desde 1993, quando o uso da tecnologia de raios-X foi permitido para fins não médicos, existem preocupações sobre sua segurança, inclusive das autoridades prisionais.

O Conselho Nacional de Proteção e Medidas contra Radiação dos Estados Unidos (NCRP, EUA) recomendou que o limite anual de exposição contínua/frequente para o público em geral não deve exceder uma dose efetiva de 1 mSv (excluindo a radiação natural e a médica). Essa dose equivale a cerca de 1.000 revistas com a Soter RS, por pessoa, por ano!

São 3 exames por dia para chegar às recomendações do NCRP. Isso significa que não há risco à saúde se a dose cumulativa for inferior a 1.000 microsieverts (uSv). Posteriormente, o NCRP afirmou que 250 uSv – como parte dos 1.000 uSv – podem ser usados para triagem de segurança sem risco à saúde.

O Instituto Nacional de Normas dos Estados Unidos (ANSI, por sua sigla em inglês) e a norma 43.17-2009 da Administração de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos (FDA, por sua sigla em inglês) sobre Segurança de Radiação para Sistemas de Triagem de Segurança de Pessoal usando Raio-X ou Radiação Gama, disponibiliza um gráfico mostrando níveis de dose, o número anual de varreduras e a dosagem anual máxima. A regulação sobre o uso de scanners corporais é rigorosa e com razão.

Tabela 1: Número de varreduras em diferentes níveis de dose

A partir dos dados mostrados, o sistema Soter RS contribui com segurança e muito conforto dentro dos níveis de segurança recomendados.

A ODSecurity considerou cuidadosamente a segurança durante o processo de desenvolvimento do Soter RS. Seu banco de dados avançados verifica a identidade do sujeito pelo número de identificação ou “Leitor de Impressões Digitais” antes da varredura, gerenciando assim a dose cumulativa por pessoa.

Falando em maio de 2019, na 24ª Conferência de Diretores de Serviços de Prisão e Liberdade Condicional da Europa, em Chipre, Jan Steven van Wingerden, CEO da ODSecurity, destacou a importância e os benefícios do uso de um scanner corporal de transmissão para detectar qualquer artigo que possa ser contrabandeado para prisões, incluindo drogas, armas, celulares e outros itens proibidos.

Os métodos de detecção de contrabando nas prisões mudaram substancialmente ao longo dos anos, assim como o papel da varredura com raios-X, por isso, a forma como os scanners de raios-X são vistos nas prisões também deve mudar. A tecnologia de digitalização deve respeitar os direitos humanos e agregar valor na busca de contrabando – uma revista corporal é melhor justificada pelo scanner que indica o contrabando.

Seis meses após a instalação de sistemas Soter RS nas unidades penitenciárias de Ontário, no Canadá, dezesseis scanners realizaram 136.600 varreduras, das quais 4.774 foram positivas com achados de 10 celulares, 74 armas (facas e lâminas) e a maioria das drogas, 4.690 pacotes: essa é a enorme quantidade de contrabando de drogas que foi impedida de entrar nas prisões de Ontário!

A varredura de segurança é mais eficaz quando elimina revistas desnecessárias no corpo, ao mesmo tempo em que segue melhorando o combate às drogas nos sistemas prisionais.


Através de um uso sofisticado de recursos de alta tecnologia, o Soter RS Body Scanner da ODSecurity garante um ambiente seguro tanto para funcionários da prisão, os detentos quanto visitantes. É uma solução mais segura e eficaz para gerenciar o risco de itens de contrabando (sejam eles drogas, armas, celulares ou outros itens). O scanner revela tudo em dez segundos, é fácil de usar e proporciona uma imagem de varredura de alta qualidade com uma quantidade mínima de radiação. Rápido e fácil: a imagem mostra todo o corpo e qualquer contrabando é revelado nele. Soter RS torna impossível contrabandear. Diferentes prisões ao redor do mundo já estão usando.


Publicidade
Curtir / Compatilhar

Alterar idioma

Explore mais

Cursos online: Corrections Learning Academy

Comunidade profissional: Corrections Direct

Recursos: Crime Solutions

Recursos Crime Reduction Toolkit

More stories
Estimular o empenho dos colaboradores como pedra angular de um sistema penitenciário sustentável