Sessões de vídeo em prisões escocesas – uma transição digital    

Caso de implementação de tecnologia

Escócia

Contexto e Problema

O Serviço Prisional Escocês (SPS, segundo sua sigla em inglês) é uma agência executiva do governo escocês, que foi criada em abril de 1993. Mantemos as pessoas sentenciadas ou detidas aos nossos cuidados em custódia segura e protegida, com foco na ressocialização, recuperação e eventualmente reintegração, no interesse de melhorar suas chances de vida e proteger os cidadãos. O SPS administra diretamente 13 prisões, e mais duas através de contratos com empresas do setor privado. Atualmente, há pouco mais de 7.500 presos sob os cuidados da SPS.   

Em 2019, a SPS fez uma pesquisa com a população prisional como parte da 17th Prisoner Survey 2019 (sps.gov.uk) e descobriu que 43% de nossa população teve visitas físicas de amigos e familiares. Destes, um quinto recebeu visitas semanais (22%), enquanto 9% as recebeu quinzenalmente, e 11% as recebeu mensalmente.

No entanto, mais da metade relatou que as pessoas tiveram problemas ao visitá-los na prisão (53%). O problema mais comum relatado foi a distância da prisão de sua casa (72%), seguido pela falta de transporte (65%), e o custo de chegar à prisão (57%).   

O desafio de apoiar o contato positivo com amigos e familiares foi exacerbado pela pandemia da Covid-19. Seguindo a orientação nacional para proteger a saúde do público e das pessoas em tratamento, o SPS suspendeu todas as visitas presenciais para aderir às regras nacionais de lockdown.   

Solução

Em 2020, o SPS abordou a Unilink sobre uma solução segura de sessões de vídeo para suas prisões, como uma alternativa às visitas físicas, que haviam sido suspensas. Em maio daquele ano, o SPS contratou uma solução de Sessões de Vídeo que proporciona um método de comunicação visual seguro entre os presos e suas famílias, independentemente de sua localização.    

Esta solução baseada na nuvem utiliza uma conexão segura, ponto-a-ponto, criptografada, que impede a interceptação potencial de chamadas por terceiros. Todas as sessões são previamente marcadas e aprovadas para que somente os visitantes autorizados possam participar da chamada de vídeo. O reconhecimento facial é usado para verificar e monitorar os visitantes antes e durante a sessão de vídeo. O serviço é de fácil acesso em qualquer dispositivo habilitado para browser, como telefone, tablet, laptop ou PC.    

O processo de implementação seguiu um plano detalhado de bordo, instalação e configuração, para permitir que todos os internos em todas as 15 prisões pudessem realizar chamadas de vídeo seguras. Em três semanas, o serviço foi implementado com sucesso em todos os 15 estabelecimentos penitenciários.    

Processo de implementação  

  • Gerenciamento de projetos – As equipes de gerenciamento de projetos e de prestação de serviços contactaram prisões individuais e agentes penitenciários remotamente para planejar a implantação do serviço em todos os locais dentro de três semanas.    

 

  • Coleta de informações – solicitação de informações sobre o local da prisão, número de presos, número de sessões de vídeo simultâneas estimadas, largura de banda da Internet, janelas de reserva de slots, horários das sessões em oferta, duração da chamada (normalmente 30 minutos), opção de gravação desde o início quando aplicável, slots de manutenção, endereços IP e muito mais.   

 

  • Formação e Guias do Usuário – Treinamento de administradores e agentes penitenciários sobre como usar o sistema, completar tarefas básicas de solução de problemas, consultas de suporte ao registro e compreender o processo de ponta a ponta de reserva, gerenciamento, supervisão e gravação de sessões de vídeo.    

 

  • Pré-configuração, testes e implantação – o serviço foi implantado em uma média de uma unidade prisional por dia. O SPS forneceu uma lista de locais e a ordem na qual cada local precisava ser configurado. O fornecedor completou a fase de pré-configuração e teste do local antes de entrar em operação com o serviço. Para cada estabelecimento, isto foi programado pela manhã e, após o sucesso dos testes, o local permitiria o serviço à tarde com a capacidade de conduzir sessões de vídeo ao vivo no dia seguinte.     

 

  • Comunicação do serviço – Comunicação através dos canais apropriados de que o Serviço de Sessões de Vídeo seria ao vivo até uma determinada data, de como os usuários poderiam se registrar e solicitar uma sessão de vídeo, entender como usar o serviço através de guias de usuário disponíveis no www.emailaprisoner.com, tutoriais e guias de vídeo “como fazer”. O público também recebia informações sobre como contatar o suporte ao cliente caso tivesse problemas com o serviço e como dar feedback sobre o serviço.   

 

  • Gerenciamento de Serviços e Suporte – Canais dedicados de suporte estão disponíveis para o público e unidades prisionais onde todos os problemas e questões são registrados, gerenciados e resolvidos.   
Resultados

Desde a implementação do serviço, mais de 104.000 sessões de vídeo já foram realizadas com sucesso. São 700 chamadas por semana em média, ou mais de 2800 sessões de vídeo realizadas a cada mês, em toda a propriedade, e o serviço está funcionando sem problemas, com poucas ou nenhumas consultas de suporte.   

As Sessões de Vídeo têm uma série de benefícios para as pessoas sob custódia, suas famílias e os funcionários penitenciários. Elas apoiam melhores laços familiares, sem necessidade de viajar e gastar com custos de transporte, de qualquer lugar do mundo.

Os benefícios para os funcionários incluem o controle sobre o agendamento das sessões, a coleta de informações, a manutenção da calma dos que estão sob nossos cuidados e a prevenção do contrabando pelos visitantes. As sessões de vídeo permitem que as pessoas se mantenham em contato com seus entes queridos, o que melhora seu bem-estar mental e promove uma parentalidade positiva.    

“Ver nosso irmão depois de meses sem poder visitá-lo pessoalmente foi realmente fantástico”. É realmente importante tanto para nossa família quanto para meu irmão continuar a ter um contato positivo durante este momento extremamente difícil, quando não temos a menor ideia de quando poderemos vê-lo pessoalmente. Muito obrigado por tornar isto possível”

— Um cliente

Teresa Medhurst, chefe executiva do Serviço Prisional Escocês,disse:  

O valor de manter os laços familiares sob custódia é amplamente conhecido como um elemento fundamental da ressocialização. A provisão de visitas virtuais e telefones tem sido crítica nas circunstâncias atuais e muito desafiadoras”.

A implementação bem-sucedida de tecnologias móveis e de videoconferência é prova do trabalho duro e dedicação da gerência e do pessoal do SPS e faz parte do compromisso mais amplo do governo escocês de manter regimes prisionais seguros e estáveis, onde as condições são propícias e favorecem a ressocialização bem-sucedida.   

 A SPS tem continuado a oferecer Sessões de Vídeo mesmo depois da pandemia da Covid-19 – não como um substituto para visitas físicas, mas como um meio adicional de comunicação, melhorando os laços familiares, as chances de ressocialização e o bem-estar mental geral tanto dos presos quanto de seus entes queridos.  Os estabelecimentos estão procurando acrescentar visitas profissionais ao portfólio de tipos de visitas, bem como sessões prolongadas para alguns tipos de pessoas ao nosso cuidado.  

O Serviço Penitenciário Escocês é responsável por aqueles que estão sob seus cuidados pelos tribunais e é responsável perante o Parlamento Escocês pela prestação de cuidados de custódia de acordo com as “Regras de 2011 das Prisões e Instituições para Jovens Infratores (Escócia)”. A estratégia nacional de justiça afirma o papel das prisões na busca de uma redução da reincidência e no apoio aos que estão sob custódia em sua reintegração segura de volta às suas comunidades, portanto, a visão da SPS é ajudar a construir uma Escócia mais segura, liberando o potencial e transformando vidas.

Curtir / Compatilhar

Alterar idioma

Explore mais

Cursos online: Corrections Learning Academy

Comunidade profissional: Corrections Direct

Recursos: Crime Solutions

Recursos Crime Reduction Toolkit

More stories
Promovendo Sistemas Penitenciários Centrados no Ser Humano: Um apelo à compaixão em nosso setor