Prison design trends

Transferindo tendências de design de prisões

As tendências influenciam praticamente todos os aspectos da vida diária impactando o que comemos, usamos, ouvimos, compramos, acreditamos e confiamos. Estabelecer uma tendência implica que os benefícios decorrentes de um exemplo universalmente reconhecido serão transferíveis e utilizados para informar e influenciar outras soluções para problemas semelhantes. Em certo sentido, o exemplo se torna uma referência de prática exemplar e é utilizado como ponto de referência para comparação com outras soluções em potencial.

Para um exemplo se tornar uma tendência, a repetição é necessária. O serviço penitenciário é baseado na repetição através de treinamentos, políticas e procedimentos. Mas essas não são tendências; estas são regras, regulamentos e, em alguns casos, leis. Na área de desenho prisional, uma tendência é uma ideia, geralmente fundamentada em uma solução operacional que se reflete em uma dimensão física ou espacial.

O resultado transforma a resposta humana. Um exemplo seria a supervisão direta, ou segurança dinâmica, que não apenas mudou a supervisão nos alojamentos, mas introduziu uma mudança significativa na configuração, equipagem e mobiliário das acomodações dos presos. Um resultado universal tem sido uma mudança no comportamento dos funcionários e dos internos.

Uma tendência mundial no projeto das prisões tem sido uma avaliação de todos os meios possíveis de reduzir com segurança o custo da construção. Algumas soluções têm sido inovadoras, tais como a fabricação de pares de celas que são rapidamente erguidas, reduzindo assim o tempo e os custos.

Percursos de pedestres da prisão de Halden - Noruega

Outra tendência tem sido soluções de design sustentáveis que reduzem os custos de construção e funcionamento através do uso de materiais normais  e sistemas de energia renovável.

A comunidade de design penitenciário está continuamente em busca de formas inovadoras de tornar o encarceramento o mais humano possível e transformar o pensamento dos tomadores de decisão em todo o mundo.

Tão transformador quanto Halden na Noruega e Las Colinas, na Califórnia, demonstrando os benefícios de tratamento associados ao design padronizado, a um milhão de dólares por leito em Halden e 200.000 dólares por leito em Las Colinas, embora poucas jurisdições podem arcar com esse nível de investimento.

No entanto, a tendência transferível é a importância da padronização na escolha dos métodos de construção, materiais e, principalmente, paisagismo, uso de cor e luz natural.

O número de vagas atualmente em uma fase de planejamento ou design em economias desenvolvidas excede 100.000. A necessidade em economias emergentes é de três a quatro vezes esse valor.

Uma pergunta justa é qual será a base do design para este enorme número maciço de leitos e as tendências amplamente ocidentais se traduzirão bem o suficiente para iniciar uma tendência de padronização nas operações e no design?

Espaços de reunião ao ar livre para reclusos em Las Colinas - San Diego, Califórnia, EUA

Um estudo de caso para alcançar os elementos de um ambiente padronizado é o novo protótipo da Costa Rica, que foi financiado por meio de um empréstimo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O BID promoveu o compromisso com as Regras de Mandela, que enfatizam a importância da dignidade humana nas operações e no desenho. Sete protótipos foram desenvolvidos variando de 200 a 540 vagas após uma extensa avaliação dos programas e serviços apropriados aos presos das respectivas regiões da Costa Rica.

Embora o orçamento de construção tenha sido menos de um terço do exemplo de Las Colinas observado acima, muitos dos elementos de um ambiente padronizado estão presentes no primeiro protótipo recém-concluído.

As unidades de convivência são pequenas com abundância de luz natural, materiais e cores locais; programas e serviços são centralizados para promover a socialização, e os pátios externos são projetados e com paisagismo feito por presos com materiais vegetais locais.

A arquitetura prisional continuará contando com os exemplos inspiradores de instalações inovadoras como Halden e Las Colinas para “elevar o nível” para a comunidade de design e incentivar os administradores prisionais a vislumbrar diferentes abordagens no cuidado e na custódia dos presos.

Como sempre, a inovação na arquitetura começa primeiro com um bom cliente e em segundo lugar com uma filosofia operacional sólida que se torna mais eficaz pelos usos criativos de espaços e materiais.

Com as centenas de milhares de novas vagas necessárias nas economias emergentes, o tempo seria bem gasto examinando como o simples conceito de padronização no tratamento e no design poderia promover melhores resultados de tratamento.

Stephen A. Carter é o fundador da CGL Companies e atua como vice-presidente executivo para o desenvolvimento estratégico global. É membro do conselho de afretamento  da Associação Internacional de Serviços Prisionais e de Correção (ICPA) e atualmente está no Conselho da ICPA-América do Norte. É presidente do Comitê de Planejamento e Design do ICPA e escreve uma coluna regular sobre tendências para os sistemas penitenciários para o periódico Correctional News.

Curtir / Compatilhar

Alterar idioma

Explore mais

Cursos online: Corrections Learning Academy

Comunidade profissional: Corrections Direct

Recursos: Crime Solutions

Recursos Crime Reduction Toolkit

More stories
Em defesa da equidade, igualdade e justiça: “Uma maratona que vale a pena correr”