Geosatis JT5

Tecnologia GPS utilizada como ferramenta de ressocialização de infratores radicalizados

Após uma série de ataques terroristas de alto perfil envolvendo extremistas anteriormente encarcerados durante a última meia década, a “radicalização na prisão” é uma preocupação crescente em muitos países da Europa Ocidental e américa do Norte. Muitos analistas e formuladores de políticas consideram a radicalização na prisão, processo pelo qual indivíduos detidos ou encarcerados “adotam cada vez mais ideias e objetivos violentos”, como um fator importante na forma como a ameaça do terrorismo se desenrolará na próxima década.[1]

A natureza e a infraestrutura da prisão por si só oferece um cenário potencial para a radicalização. O ambiente prisional pode causar raiva geral e frustração por estar preso, provocar hostilidade contra grupos específicos de presos ou funcionários penitenciários, proporcionar acesso direto aos presos para iniciação em grupos extremistas e encorajar apelos e apoio de grupos extremistas fora da prisão.[2]

Enquanto os órgãos governamentais e a administração penitenciária trabalham para gerenciar e monitorar essa atividade dentro dos muros da prisão, também devem ser feitos esforços para garantir um monitoramento consistente desses indivíduos “radicalizados” depois de serem libertados da prisão e conseguirem liberdade condicional.

O monitoramento eletrônico, especificamente a tecnologia GPS, torna-se uma ferramenta crítica para a supervisão dessas pessoas “radicalizadas” em liberdade condicional que se reintegram à sociedade. Ela permite que as organizações identifiquem de forma eficiente e confiante padrões e atividades comportamentais, ao mesmo tempo em que garante o cumprimento dos parâmetros de liberdade condicional.

José Demetrio, fundador e diretor executivo da GEOSATIS, analisou os desafios do monitoramento de indivíduos de alto risco na comunidade e decidiu que era necessária uma solução nova e revolucionária. Essa foi a origem do dispositivo GEOSATIS – um dispositivo que minimiza riscos para os órgãos fiscalizadores.

Descobrir se as pessoas recém libertadas em liberdade condicional estão passando tempo em áreas identificadas como de “risco” ou identificar potenciais novas áreas é uma necessidade para as organizações de supervisão e requer um dispositivo GPS durável e confiável para garantir que as informações de localização sejam comunicadas de forma consistente.

Embora esses dados sejam importantes, ainda mais crítico é fazer todos os esforços para minimizar a probabilidade do indivíduo em liberdade condicional cortar a correia, remover o dispositivo e fugir.

Com esse risco em mente, o dispositivo GEOSATIS foi desenvolvido para minimizar as remoções com um design que não requer correias, possui um mecanismo de bloqueio de titânio patenteado e seguro e reduz a oportunidade de adulteração geral.

Informações e supervisão consistente são fundamentais para a reintegração de indivíduos que se radicalizaram enquanto estão encarcerados – seja para confirmar o cumprimento da liberdade condicional, identificar associações com “grupos de risco” conhecidos ou para ajudar a se integrar de volta à sociedade. Os consistentes esforços de supervisão direta das administrações penitenciárias, em conjunto com um programa de monitoramento por GPS, oferecem uma abordagem abrangente para gerenciar o comportamento para o caminho desses indivíduos de volta à sociedade.

 

Notas

[1] Clifford, Bennett (November 2018).  Radicalization in Custody: Towards Data-Driven Terrorism Prevention in the United States Federal Correctional System (Program on Extremism). The George Washington University.

[2] Dealing with Radicalisation in a Prison and Probation Context (Practitioners Working Paper). RAN P&P.

 


GEOSATIS é líder global na fabricação e entrega de soluções de monitoramento eletrônico e análise preditiva completas para o sistema de justiça criminal. A empresa oferece tecnologia de monitoramento de infratores seguro, confiável, conveniente e econômico para melhorar a segurança pública, melhorar a ressocialização de infratores e reduzir a reincidência. A GEOSATIS é uma empresa sediada na Suíça e recentemente estabeleceu operações na América do Norte, com sede nos Estados Unidos (área de Chicago), com uma equipe de veteranos do setor, expandindo nossa equipe de pesquisa e desenvolvimento e aumentando nossa presença em todo o mundo.

 

Publicidade

Curtir / Compatilhar

Alterar idioma

Explore mais

Cursos online: Corrections Learning Academy

Comunidade profissional: Corrections Direct

Recursos: Crime Solutions

Recursos Crime Reduction Toolkit

More stories
Formação dos agentes penitenciários: a opinião de especialistas em todo o mundo