Unilink in JUSTICE TRENDS NR4

Unilink está capacitando presos e contribuindo para a ressocialização através do emprego

O custo anual de reincidência pago pela sociedade britânica é estimado em cerca de 15 bilhões de libras esterlinas. Egressos do sistema prsional, sem habilidades, educação ou experiência de trabalho e antecedentes criminais, têm dificuldade em se reintegrar à sociedade após serem postos em liberdade. Fornecer-lhes oportunidades de aprender e obter qualificações enquanto cumprem suas sentenças aumenta sua autoestima e torna mais provável que eles consigam um emprego ao serem libertados.

A empresa de tecnologia Unilink assinou um contrato com o braço comercial das Indústrias Prisionais que forma parte do Ministério da Justiça do Reino Unido para abrir a primeira oficina de montagem de quiosques em uma penitenciária britânica. Atualmente, os presos estão construindo quiosques interativos para que outros detentos os utilizem.

“Envolver os infratores no mundo do trabalho enquanto cumprem suas penas é na verdade parte do processo de ressocialização”, diz Lance Harris, gerente comercial de negócios da ONE3ONE Solutions, Diretoria de Ressocialização e Garantia do Serviço de Prisão e Liberdade Condicional de Sua Majestade (Ministério da Justiça). “Trabalhar lhes proporciona desenvolver habilidades que serão muito benéficas para eles ao saírem da prisão e os ajudará a garantir um emprego e se integrar de volta à sociedade. Fabricar os consoles é um trabalho muito complicado. Os presos gostam de fazê-lo e acham gratificante”, acrescentou. Na verdade, um dos infratores do presídio de Littlehey disse: “Queremos mais. Agora estamos engajados”. 

 

 

“Eles se sentem parte de uma fábrica real, ganham não só o conhecimento de fabricação, mas também a habilidade muito útil de trabalhar em equipe, para serem rápidos, disciplinados e responsáveis”, acrescenta Lance. “O benefício para os presos irá um passo além, pois o trabalho irá possibilitar uma certificação de um órgão credenciado, que testará seus conhecimentos e proporcionará uma qualificação equivalente. Queremos que eles melhorem, queremos dar-lhes uma chance maior de se manterem longe da criminalidade e assim reduzir a reincidência e o número de vítimas”.

“O trabalho de montagem de quiosques possibilitado pela Unilink dá aos detentos confiança, habilidades e melhores chances de emprego após a liberação”, diz Lorna Judd, Gerente de Indústrias do Serviço Prisional.

“Os presos podem estar entre os funcionários mais dedicados e leais de um empregador. Colocar mais egressos no trabalho é bom para eles, reduz a reincidência e, em última análise, protege a comunidade em geral”, declara Rory Stewart, Ministro de Estado do Ministério da Justiça.

Com a demanda crescendo, a Unilink poderá oferecer emprego a mais presos e possivelmente estender-se a outra oficina em uma prisão feminina. Os infratores trabalham cerca de seis horas por dia e recebem um salário semanal de acordo com a política prisional. A maior recompensa, no entanto, são as habilidades que estão ganhando e a sensação de que seu tempo atrás das grades não é desperdiçado.

A Unilink opera outra pequena oficina de montagem de quiosques em Adelaide, Austrália. O feedback tanto dos presos quanto dos funcionários é muito positivo e a demanda por novas encomendas está crescendo constantemente.

Os quiosques da Unilink estão instalados em alas prisionais em 46 prisões em todo o mundo e são usados diariamente por mais de 30.000 detentos. Eles substituem sistemas de papel ultrapassados. Os presos entram no quiosque usando autenticação dupla e podem enviar solicitações aos funcionários e receber respostas, verificar os saldos de suas contas, fazer suas escolhas de refeição, fazer compras, reservar suas visitas, solicitar consultas médicas e  medicamentos, gerenciar sua educação e solicitar empregos na prisão.

Isso libera tempo dos agentes penitenciários da administração, permitindo que eles se concentrem no que é importante, além de atribuir mais responsabilidade aos apenados para organizar suas próprias vidas. 

Os quiosques podem ser montados na parede ou no piso e são projetados especificamente para ambientes de alta segurança. As telas sensíveis ao toque são resistentes a ataques, chamas e água. As caixas metálicas não têm pontos de ligação.  Em um estabelecimento, um quiosque foi atacado com um extintor de incêndio e o vidro rachou, mas não quebrou.

//

O sistema de autoatendimento biométrico e de gerenciamento de infratores da Unilink é um produto premiado que opera de forma segura e eficiente. Em 2016, a Unilink ganhou o Queen’s Award for Enterprise in Innovation (Prêmio para empresas na área de inovação) e, em 2015, foi premiada como “Melhor Aplicativo Cidadão” e Líder Digital do Reino Unido. Para mais detalhes, acesse www.unilink.com ou e-mail enquiries@unilink.com 

 

Publicidade

 

Unilink Ad JT4
Curtir / Compatilhar

Alterar idioma

Explore mais

Cursos online: Corrections Learning Academy

Comunidade profissional: Corrections Direct

Recursos: Crime Solutions

Recursos Crime Reduction Toolkit

More stories
Sistema prisional romeno faz avanços inestimáveis através do apoio estrangeiro